Vizinhos do delegado morto em Lauro de Freitas revelam insegurança no condomínio

As últimas cenas de vida do delegado Luís Carlos Ribeiro Couto, 59 anos, foram resumidas em menos de um minuto. Imagens de câmera de segurança mostram o momento em que ele foi baleado e morto por bandidos na tarde do último sábado (2), em frente ao condomínio Villa Atlântica, no Loteamento Miragem, em Lauro de Freitas, onde morava.

As imagens, obtidas ontem pelo CORREIO,  são de uma das câmeras de um dos condomínios vizinhos e mostram o exato momento em que os assassinos desembarcaram de um carro branco e caminharam lentamente na direção do delegado, que estava no portão de entrada da casa.

Pelo menos três pessoas participaram da execução. Os vizinhos da vítima reclamam da insegurança no local.

Segundo moradores, no local é comum a ocorrência de roubos de carro. “É assalto toda hora. Não tem horário. Eles agem sempre em  dupla e abordam as pessoas quando chegam em casa”, declarou um arquiteto. A rua é composta por vários condomínios e a maioria não tem vigilante.

“São poucos que têm guarita, mas mesmo assim, aqueles que têm, não intimidam os ladrões, que estão armados e os vigilantes não”, declarou. Em um dos condomínios vizinhos ao Villa Atlântica, onde o delegado morava, duas casas foram arrombadas em cerca de seis meses.

“Eles aproveitaram que os moradores não estavam em casa e conseguiram entrar pelo teto e levaram muita coisa”, disse um morador que pediu anonimato. Sequestro relâmpagos também são comuns. Somente neste ano, duas pessoas foram levadas pelos bandidos em frente às duas escolas infantis.

“Nas duas situações, pais tinham acabado de deixar os filhos nas escolas quando foram surpreendidos com bandidos armados. Eles foram obrigados a sacar dinheiro em agências bancárias na Estrada do Coco e liberados em seguida”, contou uma mulher que mora no condomínio.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.