Rio dos Macacos: Ministro diz que lamenta rejeição de proposta por quilombolas

Titular da Secretaria-Geral da Presidência da República, o ministro Gilberto Carvalho lamentou que a proposta do governo para a resolução do conflito fundiário que envolve a Marinha e a comunidade quilombola de Rio dos Macacos, na Base Naval de Aratu, tenha sido rejeitada. Segundo a pasta, esta foi a quinta proposta relativa ao assunto apresentada pelo governo federal. “Nos contatos preliminares à reunião, eles se mostravam muito propensos a aceitar o acordo. Fico triste por saber que, sem o acordo, quem vai sofrer são os próprios moradores da região”, disse. A proposta previa a demarcação de 104 hectares dentro da área reivindicada pelos quilombolas, além de 6 hectares ao sul da Vila Naval. De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, os quilombolas presentes à reunião reivindicaram praticamente toda a área da Vila Naval da Barragem (278 dos 301 hectares) e o uso da barragem construída pela Marinha. O ministro declarou ainda que, sem o acordo, “não há muito o que fazer, porque a Marinha não pode retirar a ação que move na Justiça, para reintegrar aquela área”.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.