Protesto de moradores de Tubarão

Moradores de Tubarão no Subúrbio Ferroviário de Salvador, saíram em passeada nesta terça feira (04) contra a forma truculenta que foram abordada por parte de alguns guardas municipais e militares na ultima festa de Yemanjá.

Tudo começou quando os prepostos chegaram para fazer cumprir o decreto 24.511/13, que determina regras para a realização de eventos no município. Outras irregularidades foram encontradas, como a presença de barracas e de ambulantes sem a devida licença da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop). Os níveis de emissão sonora registrados chegaram a 112 decibéis(dBs) – ultrapassando o volume máximo permitido por lei (nº 5354/98), que é de 70 (dBs). Dessa forma, a mesa eletrônica que estava no palco foi apreendida. Neste momento iniciou-se o tumulto.

O caso teve grande repercussão e reprovação da todos os presentes ao evento que vaiaram a ação dos agentes, causando tumulto, agressões físicas e até disparos de arma de fogo.

O empresário Laerte Vasconcelos foi agredido por está filmando, recebeu chutes por todo o corpo e teve que ser levado para o hospital do subúrbio sentindo fortes dores por todo o corpo.

O prefeito ACM Neto determinou urgentemente a apuração do caso e punição dos culpados pelo ocorrido.

Segundo o Coronel Peterson Portinho, Superintendente da Guarda Municipal, durante a operação não houve por parte da Guarda nenhum disparo de arma de fogo. Em Entrevista a uma rádio de Salvador, Peterson leu uma nota da polícia Civil informando que dois homens suspeitos de participarem de uma quadrilha de traficantes dispararam mais de 40 tiros nos policiais que também participavam da operação.

A equipe do Maré Noticias vai continuar acompanhando o caso.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.