Principal suspeito da morte de músico Felipe Yves é preso em Salvador

Ueslei Silva Sarinho, o Heures, 22 anos, apontado como principal suspeito da morte do músico e compositor Felipe Yves Magalhães Gomes, 21, foi preso nesta segunda-feira (13), no bairro de Castelo Branco, em Salvador. Ele estava escondido na casa do irmão desde que o músico foi degolado e teve o corpo queimado no dia 6 de março. Imagens do crime foram enviadas à família.

O traficante foi preso por equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) ao tentar fugir da casa do irmão, na Rua Pensilvânia. Segundo a Polícia Civil, a prisão ocorreu após denúncias anônimas indicarem que o assassino estava escondido bairro.

Na casa da mãe de Ueslei, que fica na mesma rua da casa do irmão, foi encontrado um revólver calibre 38. A polícia investiga se o revólver, que estava escondido embaixo de uma sapateira, foi a mesma arma usada para matar o compositor. A arma foi encaminhada ao Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde será periciada.

O suspeito foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma. Heures já possuía dois mandados de prisão em aberto por homicídios ocorridos no bairro de Cajazeiras. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga a participação do traficante e de sua quadrilha em mais dez assassinatos.

Outros dois suspeitos ainda estão sendo procurados. Andrei Jesus dos Santos, o Lacoste, 22 anos, e um adolescente de 17 anos foram presos suspeitos de envolvimento no crime. Segundo testemunhas ouvidas pelo CORREIO, Heures é líder da facção criminosa Bonde do Maluco (BDM) que comanda o tráfico de drogas em Cajazeiras. Na sexta-feira, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) decretou a prisão temporária dele e de outro suspeito.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.