Primeira audiência do caso Geovane acontece nesta sexta em Salvador

Um ano e meio depois de o CORREIO publicar com exclusividade a história do desaparecimento de Geovane Santana Mascarenhas, 22 anos, a primeira audiência do caso será realizada às 9h de amanhã, no Fórum Criminal de Sussuarana.

Três testemunhas de acusação, entre elas Jurandy Silva, 42,  o pai do jovem morto dentro da sede da Rondesp, serão ouvidas na audiência de instrução pela juíza Gelzi Maria Almeida Souza, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

“Verdade que a Justiça está devagar, passou mais de um ano e meio, mas não deixa de ser um avanço”, disse Jurandy.

Além dele, serão ouvidos a mulher de Geovane, Jamille Santos de Jesus, e a mãe da filha de 2 anos do jovem.

Em 13 de agosto de 2014, o CORREIO mostrou o drama de Jurandy, que procurava o filho desde o dia 2 do mesmo mês, quando PMs da Rondesp abordaram o rapaz na Calçada.

Jurandy já havia registrado o sumiço do filho junto à polícia, mas não obteve sucesso.

O Ministério Público do Estado (MPE) denunciou 11 PMs pelos crimes de sequestro, roubo (a moto e o celular de Geovane não foram localizados) e homicídio qualificado (por motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima). Seis deles foram denunciados também por ocultação de cadáver. Eles respondem em liberdade.

Em uma outra data, serão ouvidos os réus do processo, os 11 PMs, e posteriormente, as testemunhas de defesa. Em seguida, o MPE fará as alegações finais — um resumo dos autos – que serão encaminhadas ao juiz do caso.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.