Praia na Ilha dos Frades é a primeira do Nordeste a ter selo internacional Bandeira Azul

Com 54 anos de idade, Manuel Santos, conhecido como Nego Neo, não se envergonha de ostentar sua principal riqueza: seu endereço. Desde que nasceu, ele mora na Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, na Ilha dos Frades, que vai receber hoje a primeira etapa de um reconhecimento internacional, o título Bandeira Azul, um dos mais importantes do mundo para praias e marinas.

Com o título, a ideia é que o local seja mais visto, visitado, desfrutado e, principalmente, ganhe mais proteção para a  natureza. Nada disso assusta Nego Neo, que vive do turismo.

“Podem chegar aqui com uma mala de dinheiro, com R$ 3 milhões que a gente não sai. Amor de mãe a gente não vende”, afirma ele, se referindo a dona Rosário, que enquanto viveu por  89 anos  no local, ensinou ao filho o valor da ilha.

Nego Neo é um dos cerca de 45 moradores desse trecho da Ilha dos Frades (que, sim, pertence a Salvador). Eles vão presenciar, hoje, a colocação da placa piloto do programa.  No Brasil, apenas duas praias e duas marinas possuem o selo: a Praia do Tombo (Guarujá, SP), Prainha (Rio de Janeiro, RJ), Marina Costabella (Angra dos Reis, RJ) e Marinas Nacionais (Guarujá, SP).

Isso significa que Salvador passa a ser a primeira cidade do Norte-Nordeste a se inscrever para o selo, emitido pela Foundation for Environmental Education (FEE, em português Fundação para Educação Ambiental), com sede na Inglaterra. “A praia  está na fase piloto, o que quer dizer que está se preparando para receber a bandeira e vai ter aí mais um ano para se adequar”, explica Bernadini.

Requisitos

Com o hasteamento da bandeira azul na praia, haverá ali a garantia de satisfação dos visitantes. São 34 requisitos avaliados pela FEE, relacionados às áreas de educação ambiental, qualidade da água, gestão ambiental, segurança e serviços.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.