Pero Vaz e Santa Mônica continuam sem ônibus nesta sexta

Pelo segundo dia consecutivo, moradores dos bairros do Pero Vaz e da Santa Mônica continuam sem ônibus nestas localidades nesta sexta-feira, 1°. A suspensão do serviço ocorreu depois que quatro ônibus foram queimados no Pero Vaz.

A ação seria em represália à morte de um suspeito que morreu durante um tiroteio com a Polícia Militar na tarde da última quarta, 29.

O Sindicato dos Rodoviários afirmou que, preocupado com a integridade física dos trabalhadores e passageiros, deslocou o fim de linha dos ônibus do Pero Vaz para o IAPI e do Santa Mônica para o Conjunto Bahia, próximo à avenida San Martin.

Mesmo com dois suspeitos de incendiarem os ônibus presos na noite desta quinta, 30, o vice-presidente do sindicato, Fábio Primo, afirmou que ainda não há previsão de quando irá regularizar o serviço de transporte público nestas regiões.

“Ontem (quinta, 30) tivemos uma reunião com o comando da Polícia Militar, mas só vamos retornar as atividades quando tivemos certeza plena de segurança”, disse Primo.

Clima de medo

O incêndio a quatro ônibus no Pero Vaz, na noite da última quarta 29, levou o clima de medo e apreensão aos moradores e comerciantes da região.

Nesta quinta, 30, além dos ônibus que permaneciam sem circular até o fim de linha do bairro, poucos estabelecimentos se arriscaram a abrir as portas.

Segundo um policial civil, o ataque contra os coletivos teria sido ordenado por um homem de prenome Fernando, apontado como um dos líderes do tráfico na Santa Mônica e irmão de Gilson Barbosa da Cruz, 23 anos, morto em confronto com PMs horas antes de os veículos serem queimados.

Familiares do rapaz, por sua vez, contestam a versão. Eles afirmam que Gilson não tinha nenhuma ligação com o crime nem estava armado na ocasião em que foi baleado.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.