PÂNICO NO CALABAR

O ataque contra dois ônibus do sistema regular de transporte de Salvador, ocorrido na noite desta terça-feira, 3, no bairro de Ondina, nas imediações do Calabar, voltou a aterrorizar a população soteropolitana. Cerca de vinte homens bloquearam a via e efetuaram disparos de arma de fogo, além incendiar e apedrejar os coletivos.

Por precaução, apesar do policiamento reforçado na região, os rodoviários estão evitando – por enquanto – a Avenida Professor Sabino Silva, onde ocorreu o ato criminoso, e trafegando pela Avenida Oceânica.

Mesmo reconhecendo o trabalho da Polícia Militar, o Sindicato dos Rodoviários cobra ação ostensiva contra os criminosos. “O modus operandi da criminalidade é muito dinâmico. Eles agem aqui e depois promovem ataque em outro lugar, por isso é preciso uma operação de guerra”, disse Daniel Mota, diretor de Comunicação do sindicato.

Esse foi o primeiro caso de ônibus incendiado de forma criminosa na capital baiana em 2020. Segundo Daniel Mota, uma ocorrência foi registrada no ano passado. Números que apresentam redução se comparados a anos anteriores.

Para o dirigente, o maior diferencial do caso ocorrido ontem é a área onde aconteceu o fato. “Estamos no metro² mais caro de Salvador, onde há uma semana tinha gente do mundo inteiro”, frisou. Apesar do susto, segundo Mota, ninguém ficou ferido durante a ação criminosa.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.