Mulher morre durante tentativa de sequestro em São Caetano

Rosângela da Silva Santos, 56 anos, morreu depois de sofrer uma tentativa de sequestro na porta de casa, na noite desta quarta-feira (18), na Rua Direta de São Caetano. A versão de que os bandidos tentaram raptar a vítima foi apresentada pelos filhos dela. A polícia acredita em tentativa de assalto. A mulher era viúva de um policial militar assassinado em 2013. O principal suspeito de matar o PM, na época, era um dos filhos de Rosângela, que também foi assassinado.

Segundo uma das filhas da vítima, a mulher saiu de casa para fazer uma ligação. Ela desceu as escadas do prédio e estava em pé, na entrada do imóvel, quando foi abordada. “Um carro preto encostou e dois homens encapuzados desceram. Eles tentaram arrastar ela para dentro do carro, mas ela correu. Foi quando um deles atirou na cabeça de minha mãe”, contou a mulher, que pediu para não ser identificada

Depois de receber o primeiro tiro, Rosângela caiu. Um dos suspeitos então se aproximou e deu outro disparo na cabeça da vítima. Os bandidos fugiram no mesmo veículo, sem levar nada. Um dos filhos de Rosângela estava em casa no momento do assassinato. Ele contou que ouviu os disparos, mas não pensou que a vítima fosse a mãe dele.

“Eu pedi para minha mãe fazer um feijão pra mim. Ela começou a preparar as coisas, mas saiu para fazer uma ligação. Eu estava na cozinha quando ouvi o primeiro tiro. Corri para a porta, mas quando estava saindo ouvimos o segundo disparo. Minha mulher ficou com medo e me puxou para dentro. Quando eu saí, minha mãe estava no chão”, contou o homem, também em anonimato.

No registro do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação do caso, consta que Rosangela foi vítima de uma tentativa de assalto. Segundo a assessoria da Polícia Civil, os bandidos atiraram na mulher porque ela se recusou a entregar o aparelho celular. O caso ainda está sendo investigado. Os suspeitos não foram presos, nem identificados.

A filha da vítima contou que o aparelho celular foi comprado uma dia antes do crime e afirmou que assaltos são frequentes naquela região. No entanto, a família não tem certeza se esse é um caso de latrocínio. “Houve uma situação na nossa família. Meu irmão matou nosso padastro, que era policial, e depois foi assassinado. Não sabemos se os casos têm relação”, disse.

Policiais militares da Base Comunitária de São Caetano também registraram uma informação semelhante. Segundo eles, Rosangela foi baleada depois de reagir a uma tentativa de assalto. A assessoria da Corporação informou em nota que quando os policiais encontraram a mulher, ela estava sem vida.

“Uma guarnição da 9ª CIPM (Pirajá) localizou o corpo de uma mulher, vítima de disparo de arma de fogo, por volta das 20h40 de quarta-feira, na Estrada de Campinas, São Caetano, próximo à panificadora São Jorge. Imediatamente os PMs acionaram a Polícia Técnica e realizaram o isolamento da área”, diz a nota.

Até o final da manhã o corpo de Rosângela permanecia no Departamento de Polícia Técnica (DPT) e o local e horário do sepultamento não haviam sido definidos.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.