Fidelix diz não ser “homofóbico” e ataca novela da Globo.

O ex-candidato à Presidência da República Levy Fidelix (PRTB) disse nesta terça-feira que irá recorrer da decisão judicial que o condenou a pagar multa de R$ 1 milhão pelas declarações homofóbicas que deu durante um debate transmitido pela TV Record na campanha eleitoral de 2014.

Na ocasião, Fidelix afirmou que “dois iguais não fazem filho” e que “aparelho excretor não reproduz”. Hoje, em entrevista coletiva na Câmara dos Deputados, o ex-candidato negou que seja homofóbico e disse que estava apenas expressando a sua opinião.

“Não sou de maneira nenhuma homofóbico, nem ataquei ninguém”, afirmou. “Foi um ponto fora da curva. Eu respondi à cidadã, à candidata Luciana Genro (PSOL), sobre a questão homoafetiva. Eu tenho direito de pensar diferente. Ela tem direito de pensar diferente. No calor das palavras, se eventualmente eu fui forte e firme, isso é natural”, continuou.

Na sequência, o ex-candidato afirmou que as novelas da TV Globo representam uma “agressão ao povo brasileiro”. Como exemplos, ele citou a novela Império, que terminou na última sexta-feira e tinha um personagem homossexual vivido pelo ator José Mayer, e também a nova novela Babilônia, que estreou ontem e já no primeiro capítulo exibiu um beijo entre as atrizes Nathália Timberg e Fernanda Montenegro, que formam um casal de senhoras lésbicas.

“A Globo está lá com suas novelas. Terminou Império, aquela agressão ao povo brasileiro. Começou Babilônia, uma agressão ao povo brasileiro. Então nós temos uma inversão de valores no País. As pessoas estão querendo impor convicções que nós não estamos acostumados a tê-las”, afirmou.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.