Espaços em fortes são opções de lazer na Barra

Com óculos de realidade virtual e um fone de ouvido, Antônio Santana, 94 anos, realizou ontem o sonho de ver uma exposição completa de obras do fotógrafo japonês Hirosuke Kitamura. O aposentado, que também é fotógrafo, pôde vivenciar a experiência no espaço Pierre Verger da Fotografia, montado no Forte de Santa Maria, na Barra, inaugurado na última quinta-feira, juntamente com o espaço Carybé das Artes, no Forte São Diogo, também na Barra.

Seu Antônio foi só um dos visitantes interessados em conhecer, ontem, os espaços já no primeiro fim de semana de funcionamento. Com ele, baianos e turistas de idades diversas aproveitaram o dia de sol para visitar as fortalezas. Os dois espaços integram importantes equipamentos culturais, resultado do projeto de revitalização dos fortes da capital baiana. A reforma foi promovida pela prefeitura por meio de contrato de cessão de uso gratuito das áreas com a 6ª Região Militar, responsável pelos monumentos.

Quem esperava ver dois simples museus com obras expostas nas paredes surpreendeu-se ao adentrar no universo das obras dos dois artistas retratadas por meio de modernos recursos de mídia digital. O pequeno Guilherme Tambone, de 4 anos, não fazia ideia de quem foi Pierre Verger, mas nem por isso deixou de se encantar com as fotografias. Com olhinhos atentos aos tantos monitores de vídeo, ele brincava, junto com o pai, o empresário Lorenzo Tambone, de reconhecer as paisagens urbanas de Salvador nas fotografias antigas.

“É importante que ele tenha contato com as artes desde pequeno para que, mais tarde, reconheça as obras de pessoas importantes do nosso estado onde quer que ele esteja”, disse o pai do garoto.

Interação

O Forte de Santa Maria, por exemplo, foi transformado em um local dedicado à exposição fotográfica de Pierre Verger e mais 56 fotógrafos baianos. Ao contrário de uma mostra comum, todas as fotos são exibidas em telões de alta resolução e estão presentes, também, em vídeos e projeções.

O acervo foi organizado em seis eixos temáticos – Retratos, Paisagens Urbanas, Cultos Afro-Brasileiros, Interior da Bahia, Cenas do Cotidiano e Fotografia Contemporânea.

No Forte São Diogo, foi montado um centro tecnológico de referência da vida e obra de Carybé, que demonstra a importância do artista por meio de variadas técnicas de recursos visuais e linguagens modernas.

“A intenção é proporcionar uma visita diferente, para que o visitante se sinta parte e possa interagir com todo o acervo, e não um mero espectador”, explicou o coordenador-geral de implantação dos dois espaços, Emerson Cabral.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.