Em decisões entre Bahia e Vitória, vantagem tricolor é de um título

Em 2016, o Campeonato Baiano completa 112 edições, o segundo mais velho estadual do Brasil, perdendo para o Paulista por três edições. Apesar de centenário, as decisões que envolveram Bahia e Vitória não foram tantas quanto se pode imaginar. Com a bola rolando, foram 21 finais Ba-Vi na competição.

A edição de 1999 é o ponto fora da curva, já que não houve decisão e o tapetão decidiu dividir o título. No gramado, apesar da vantagem tricolor, o equilíbrio é evidente na divisão dos troféus. O Bahia levou a melhor em 11 finais, e o Vitória ficou com 10.

O primeiro encontro aconteceu em 1947, em jogo único, vencido pelo tricolor por 3×1. Daquele primeiro clássico decisivo até a edição de 1972, foram quatro taças para cada lado nos encontros das finais.

Depois, cada um dividiu um período de hegemonia nas decisões. Entre 1974 e 1981, Bahia e Vitória se enfrentaram cinco vezes. O Esquadrão venceu todas. Entre 2000 e 2010, ocorreram outras cinco finais. O Leão papou todas.

As decisões já tiveram diferentes fórmulas de disputa, como jogo único e melhor de três. Se considerar a fórmula atual, com jogos de ida e volta, o Vitória leva vantagem. Em 11 disputas neste mesmo formato, o Leão levantou o caneco oito vezes. Porém, inverter a vantagem é um problema. Apenas em 2014 quem tinha a vantagem (Vitória) não conseguiu ser campeão.

Outras fórmulas
Outras dez decisões aconteceram entre Bahia e Vitória no Baiano, mas com outros clubes envolvidos. Foram os tradicionais triangulares e quadrangulares, que não ocorrem desde 2008. Mais equilíbrio. O rubro-negro levou seis. Em 1974 foi um caso à parte, pois era triangular, mas se tornou final. Bahia e Vitória terminaram empatados em todos os critérios, o que obrigou um jogo extra. Deu Bahia.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.