Deputada propõe CPI para investigar Imbassahy

A deputada estadual pelo PT, Luiza Maia, quer instalar uma CPI na Assembleia Legislativa para investigar o superfaturamento da obra do metrô de Salvador, em 1999, época em que o vice-presidente da CPI da Petrobras, Antônio Imbassahy (PSDB), era prefeito.

Matéria publicada pelo jornal Folha de São Paulo, no último domingo, 5, diz que  empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras também foram acusadas pelo Ministério Público Federal de terem superfaturado o metrô de Salvador em R$ 166 milhões, à época, aproximadamente R$ 400 milhões em valores corrigidos.

O Tribunal de Contas da União (TCU), que detectou o sobrepreço na obra de R$ 1 bilhão, responsabilizou tanto os gestores indicados pelo tucano quanto as empresas envolvidas na obra, as mesmas investigadas agora pela comissão da Petrobras: Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa. Ambas são acionistas da CCR Metrô, atual responsável pelas obras do metrô de Salvador.

O deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB), em entrevista à Rádio Metrópole nesta terça-feira (7), comentou sobre a citação do seu nome na denúncia, publicada no jornal  Folha de S. Paulo, sobre empreiteiras que desviaram dinheiro no metrô de Salvador durante a gestão do tucano quando foi prefeito da capital baiana. “É importante destacar que não tem nenhuma acusação contra minha pessoa. O que está sendo citado por alguns petistas é de de que algumas empresas contratadas estão envolvidas no Petrolão. Como também é verdade que essas empresas continuaram trabalhando quando Wagner era governador e continua com o governador Rui Costa”, justificou.

Responder

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.